terça-feira, 14 de setembro de 2010

Sopro


Nada como ocupar a mente, deixar os dias correrem e fingir esquecimento para os fatos acontecidos. Fingir, ultimamente, tem sido meu trunfo. Aliás, fingir não, né? Seria maldade com as coisas boas que têm acontecido em enxurrada.

Encarei qualquer coisa abaixo do meu nariz, ao invés de fingir que não existem. Tô no lucro, por incrível que pareça. E das verdades, a mais gostosinha de sentir é: de ousadia, me cobri inteira.

Até assobio voltei a praticar.






[O post que ia ser publicado, como prometido anteriormente, acabou de ser descartado. Assim... fácinho, fácinho: na lixeira onde se juntará com outras muitas coisas].

Nenhum comentário: