sábado, 25 de julho de 2009

* De mim mesma

Eu não sei o que tá acontecendo comigo, com os meses, com as reações. Me reconheço em tudo, não nego. Relevo, relevo, deixo passar, abstraio, depois vem a dor de barriga, o engasgo. Ai eu durmo, acordo de novo, levanto, tenho demência extra e passa. Passa hoje, passou ontem e amanhã? Não, veja bem, eu não penso no amanhã. Assim, até que penso, mas não fico esperando por ele. Idealizo de boa, normal. Sem complexos. Uma música aqui outra acolá, o ipod descarrega e eu morro. Haha. Tô obcecada por música. Onde já se viu? Nunca foi assim. Até fiquei triste dia desses, quando tive que enrolar o fio e guardar na bolsa. Sem música a vida é triste, né? Agora mesmo, tô em pleno sábado, com mais de cem músicas no playlist, bebendo uma cerveja uó. Quem toma cerveja chamada Caracu é uó também?

Então, eu comecei a escrever e não sei o que é. Até abri um parágrafo. Realmente não sei o que tá acontecendo. Se tá bom ou ruim.

Eu tava falando em não me reconhecer, né? Tô até gostando isso. É uma dose a mais de superficialidade. Nostalgia fica de lado, apenas acontece o que deve ou tem que acontecer e pronto. Dose dupla de vamovernoquedá,ok?

Não tô sendo específica, mais uma vez. Mas prefiros não ser porque tô sendo muito irônica ultimamente. E escrever ironias ia ficar muito, mas muito chato, mas do que já é. Ironia explícita é foda, ironia por si só basta. Por exemplo, vai ser ironia postar esse post. Dá pra entender? Hahaha.

Jesui. Eu queria uma coisa ontem, depois fiquei querendo outra. Ai a de ontem tá aqui, em segundo plano, e a outra, tá no primeiríssimo lugar. Sendo que o primeiro lugar é ilusório, tá distante de mim - não que o segundo não esteja. Então o que faço?

Cadê a terceira opção?

Ok, já já chega aqui em casa. Então vou sair desse pc, terminar a cerveja, jogar fora as cinzas e ficar linda e leve pra rir*.

Um comentário:

seguidoradelivros disse...

Teus posts tão cada vez melhores =)