segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Me mate

Preciso parar de ler Caio Fernando Abreu. Não porque é chato ou ruim. Porque preciso parar de dar uma de pseudo-intelectual. Não é porque preciso ocupar meu tempo livre com outras coisas, tipo: estudos da faculdade, ou porque preciso deixar de ler porralouquices e mejogar na realidade.
Preciso parar de ler Caio porque ele me deixa idiotamente paranóica. Me achando ridícula com meus dramas - como nunca excederam antes. Até pra escrever esse post, em falar que preciso parar de lê-lo, pareceu ser, aliás, é dramático. Porque tanto drama, hein? Putaquepariu. Daí, voltando ao Caio - ele é um filhodaputa sabichão das coisas da vida, do coração, das porralouquices, dos sentimentos vastos, vagos, correspondidos de uma maneira troncha ou dos buracos na alma que deixam a vida bruscamente perfeitinha, fodida, mas cheia de poesia pra enfeitar. Dái, fechei o livro. Por um bom tempo, tá Caio? Só pra meu humor sou-mais-eu voltar ao normal, dá uma reciclada. Um 360º a 220km/h. Só por hoje e amanhã e até o final de semana sem você, beibe.

2 comentários:

ele disse...

:~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

V disse...

Eu também preciso. Tirei os livros de perto de mim. Preciso parar de cutucar a dor. E ver dragões em toda parte, inclusive ao espelho.